Bolsonaro diz que lei contra discriminação de mulheres no trabalho prejudica as mulheres

Jair Bolsonaro afirmou que a entrada de mulheres no mercado de trabalho poderá se tornar algo “quase impossível” caso sancione a multa laboral para empregadores que pratiquem discriminação salarial entre os sexos. “Vamos ver se o emprego vai ser quase impossível ou não”, disse

Jair Bolsonaro afirmou, durante uma transmissão ao vivo pela internet nesta 5ª feira (22.abr.2021), que arranjar uma vaga para mulheres no mercado de trabalho poderá se tornar algo “quase impossível” caso ele sancione um projeto de lei que amplia a multa contra empregadores que pagam salários diferentes para homens e mulheres que exercem a mesma função. O projeto, que foi aprovado em março pelo Senado, prevê o pagamento de uma indenização à empregada prejudicada, no valor de até cinco vezes a diferença da remuneração paga ao homem  que ocupa a mesma função.

“Qual a consequência disso vetado ou sancionado? Vetado, vou ser massacrado. Sancionado, você acha que as mulheres vão ter mais facilidade de arranjar emprego ou não no mercado de trabalho. Vamos ver se eu sancionar como vai ser o mercado de trabalho para a mulher no futuro. É difícil para todo mundo, para a mulher é um pouco mais difícil. (Vamos ver) Se o emprego vai ser quase impossível ou não”, disse Bolsonaro de acordo com reportagem do jornal do jornal O Globo.

Bolsonaro disse, ainda, que deverá decidir se sanciona ou veta o projeto na próxima 2ª feira (26.abr) e pediu que os internautas ao auxiliassem a tomar uma decisão.

“Você pode estar dizendo, o patrão tem que tomar vergonha na cara. Pode acontecer que o pessoal não contrate ou contrate menos mulheres. Não vou discutir o mérito. Segunda-feira é o dia D. Vou ver nos comentários da live se eu devo sancionar ou vetar o projeto que aumenta a multa para aquele que pague salário menor que exerçam a mesma atividade, supostamente a mesma atividade “, afirmou.

Deixe uma resposta