Mauá e São Caetano registram mais duas mortes de GCMs por COVID-19

Robson Galli, de São Caetano, Valter Araújo de Lima, o GCM Lima de Mauá morreram com COVID-19. Foto: Divulgação

Na semana passada um guarda também morreu na região e PMs também perderam a vida nos últimos dias devido a complicações da doença

Dois GCMs (Guardas Civis Municipais) morreram e foram sepultados nesta segunda-feira, vítimas da COVID-19. Um dois em São Caetano e outro em Mauá. Os agentes foram contaminados antes do início da vacinação para os agentes de segurança na semana passada.

Valter Araújo de Lima, o GCM Lima, de Mauá foi uma das vítimas. Ele tinha 48 anos, era casado e pai de três filhos. Completaria 19 anos na corporação em agosto de 2021.

O guarda testou positivo no dia 9 de março, quando a secretaria de Saúde aplicou Teste Rápido em todos os GCMs da ativa. Seu estado piorou e houve a necessidade de internação em 29 de março, sendo intubado dois dias depois.

O agente foi sepultado na tarde desta segunda, no Cemitério Jardim Santa Lídia.

São Caetano

Admirado por seu grande profissionalismo, o Guarda Civil Municipal de São Caetano, Robson Galli, de 48 anos, ingressou na corporação em 15 de janeiro de 1996, (25 anos de carreira), faleceu na manhã deste domingo (11.abr), em decorrência do agravamento do seu estado de saúde devido à COVID-19. Ele deixou dois filhos, de 12 e 17 anos. Ele é o terceiro a perder a vida na Corporação.

Na semana passada, um GCM também morreu vítima da doença. Wilson Guardia não resistiu às complicações do novo coronavírus e foi sepultado às 10h da segunda-feira (05/04).

Além de três GCMs que morreram de COVID, dois policiais militares da 3ª Companhia perderam a vida os últimos dias. Um deles morreu sábado (03.abr) e foi enterrado no domingo (04/04).

Deixe uma resposta