Sara Winter negocia delação premiada com a PGR sobre atos antidemocráticos

A extremista conversou na manhã desta 5ª feira com o procurador Aldo Costa, responsável pelo inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar o financiamentos de atos antidemocráticos

A ativista extremista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, investigada pelo envolvimento em atos antidemocráticos e que está atualmente utilizando tornozeleira eletrônica, ofereceu à Procuradoria-Geral da República (PGR) um acordo de delação premiada. A negociação já começou, mas está ainda em estágio inicial.

Na manhã desta 5ª feira (08.abr.2021), Sara participou de audiência com o procurador Aldo Costa para falar sobre o assunto. Costa é responsável pelo inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar o financiamentos das manifestações antidemocráticas.

A outros alvos do processo, a extremista afirmou que, caso consiga o acordo com a PGR, pretende deixar o país.

Deixe uma resposta