Consórcio do ABC foi determinante para a liberação de recursos para o combate a COVID-19

Mostrando toda a sua força e prestígio, o Consórcio Intermunicipal do ABC foi determinante para a liberação de recursos financeiros para que a cidades da região possam continuar oferecendo tratamentos a acometidos pelo coronavírus e abrir novas vagas de leitos.

Na região do ABC, graças a intervenção do Consórcio do ABC, Ribeirão Pires está recebendo 1,440 milhão, Diadema receberá R$ 2,880 milhões, Mauá terá R$ 1,440 milhão, Santo André terá R$ 7,2 milhões e São Caetano R$ 4,320 milhões.

“Vamos focar na ampliação de leitos de UTI para atravessarmos os próximos 15 dias, período delicado de pandemia, sem deixar a nossa gente desassistida. Há um grande esforço das sete cidades para garantir as condições necessárias, salvar vidas e minimizar danos”, destacou Paulo Serra em publicação oficial da entidade regional.

No referido documento, foi apontado aponta que a região do Grande ABC apresenta o maior complexo de atendimento de UTI do estado, atualmente em 33,1 leitos UTI por 100 mil habitantes e que, além de não desmobilizar seus leitos ao longo de 2020, ampliou o número de unidades a partir de outubro de 2020, tornando a região um desafogo, inclusive, para cidades de outras regiões.

O estudo foi entregue pelo presidente da entidade regional e prefeito de Santo André, Paulo Serra, ao vice-governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia, representando o governador João Doria.

Deixe uma resposta