CONDEMA de RP analisa contas do Fundo do Meio Ambiente e pode denunciar ao MP por possível malversação e peculato

Comissão do Conselho Municipal de Fefesa do Meio ambiente de Ribeirão Pires analisa documentos relativos ao Fundo  de Meio Ambiente (FUNDARP) entre os anos de 2017 à 2020.

Segundo as informações o governo do ex-prefeito Kiko Teixeira (PSDB) teria deixado saldo de conta específica no valor de R$ 22,36.

  

Os questionamentos que fazem os Conselheiros tem base nos repasses feitos entre os anos de 2017 e 2020 onde segundo o CONDEMA que é um órgão deliberativo deixou de ser consultado do informado sobre alguns gastos.

No período, houve receitas no valor de R$ 2.775.665,32, conforme pode-se verificar abaixo em documento oficial.

Os Conselheiros analisam documentação e podem diante de suspeitas fundadas, propor junto ao Ministério Público uma Ação Cível Pública por malversação e peculato.

De acordo com informações de nossa fonte, o Fundo  de Meio Ambiente (FUNDARP) estava à época, operando junto a secretaria de Assuntos Jurídicos da gestão anterior.

Deixe uma resposta