Manifesto da elite econômica sela isolamento de Bolsonaro, por Helena Chagas*

“A turma do PIB era o elemento que faltava no cerco que está se apertando em torno de Bolsonaro, e a carta deixa claro que também eles estão cansados do capitão”, escreve Helena Chagas, do Jornalistas pela Democracia

O ingrediente novo no cenário é o manifesto de empresários, banqueiros e economistas pressionando Jair Bolsonaro a tomar medidas efetivas contra a Covid, criticando o governo e derrubando o  discurso da falsa dicotomia entre pandemia e economia. Mas a questão que moveu  nomes como Roberto Setúbal e Pedro Moreira Salles, Pedro Malan e Rubens Ricúpero, Armínio Fraga e Persio Arida, entre outros, a se juntarem nesse chega pra lá a Bolsonaro parece ir além da pandemia: nas entrelinhas, está escrito que essa turma não vai apoiar um golpe.

A carta dos empresários e banqueiros veio a público junto com os recentes  arreganhos ameaçadores do presidente da República. Na sexta, ele voltou a falar em estado de  sítio e prometeu que “medidas duras”virão. Apesar de reações no Judiciário e no Legislativo, neste domingo Bolsonaro aproveitou o próprio aniversário para fazer ameaças veladas, afirmando que “só Deus”o tira do cargo, e que vai fazer tudo o que puder para preservar o direito do povo de “ir e vir”.

O que fará agora com a carta dos empresários, banqueiros e economistas? A turma do PIB era o elemento que faltava no cerco que está se apertando em torno de Bolsonaro, e a carta deixa claro que também eles estão cansados do capitão. O certo, o lógico, o racional para um presidente encurralado como ele seria ceder, e até oportunidade para isso ele tem: na quarta-feira, na reunião com os chefes dos demais poderes para tratar de uma ação unificada contra a pandemia.

*Helena Chagas é jornalista, foi ministra da Secom e integra o Jornalistas pela Democracia

Deixe uma resposta