Orlando Morando defende lockdown total e fala que não aguenta mais irresponsáveis (VÍDEO)

“As pessoas ainda não entenderam a gravidade da situação e a cidade pode ficar sem leitos de internação”, Orlando Morando

Repórter ABC | Luís Carlos Nunes – O prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB) disse em entrevista a Band News nesta 4ª feira (10.mar.2021) que defende um lockdown total como medida de enfrentamento ao COVID-19 mantendo somente serviços ao qual julga essenciais.

O Repórter ABC recortou trecho do vídeo ao qual nosso leitor pode assistir ao final desta matéria.

Citando a cidade de Araraquara que se utilizou do método e obteve exito contra a variante amazônica que é reconhecida cientificamente como sendo mais agressiva, infecciosa e letal.

“Olha eu defendo até porque a cidade de Araraquara fez e a variante foi contida. Nós deveríamos ter um lockdown total, era melhor para uma semana de maneira mais agressiva do que nós temos que ficar esticando porque do jeito que nós estamos vendo nós vamos chegar ao final do mês de março na fase vermelha prejudicando ainda mais o comércio, a atividade econômica e as pessoas saindo de casa. Então então eu defendo sim o lockdown total funcionando apenas serviços hospitalares, clínicas veterinárias e farmácias, o resto fecha”.

Segundo ainda Morando a situação é grave, as pessoas ainda não entenderam a gravidade da situação e a cidade pode ficar sem leitos de internação.

“As pessoas vão usar suas economias que tem em casa, o alimento que tem casa porque a situação é grave e não tão entendendo. As pessoas ainda olham com uma ótica de que dá para dar uma empurradinha, de que daí vai ter um jeitinho, não vai ter um jeitinho, não vai ter leito em nenhuma cidade do estado de São Paulo… a quantidade de casos que apareceram nos últimos dias a tendência é que na 5ª feira (11) ou na 6ª feira (12) a cidade não tenha mais condições de internar aqueles que contraíram o novo coronavírus”.

Reforçando a sua fala sobre a necessidade de um lockdown total, o prefeito de São Bernardo do Campo usou a cidade de Rio Grande da Serra, a menor cidade do ABC Paulista como exemplo.

“Eu não posso falar pelo Brasil que eu não conheço, mas eu tô aqui fazendo administração de uma cidade de quase 900 mil habitantes que tem uma estrutura grande, você imagina cidades menores aqui por exemplo Rio Grande da Serra com 50 mil habitantes, não tem leito, as vítimas de lá serão atendidos por nós aqui e pelas cidades vizinhas e isto ocorrerá em diversos lugares porque a nova variante infecta mais rápido ela infecta mais fácil e é mais agressiva, então é necessário sim. Não adianta ficar tomando meias atitudes tem que tomar uma atitude mais brusca e urgente e eu defendo que nós tivéssemos uma paralisação total de no mínimo de cinco dias para que pudéssemos frear o avanço do vírus”.

Ao final da entrevista, Morando não poupou aqueles que descumprem as regras sanitárias pondo em risco a vidade de outras pessoas.

“Eu também não aguento mais tantos irresponsáveis nas ruas além de não estar se protegendo infectando outras pessoas e com a vida achando que a vida tal normal então eu peço para que as pessoas nos ajudem ficando em casa e se proteger”.

Orlando fez ainda um apelo a população para que só procurem serviços médicos em casos de grande necessidade.

“Quero fazer um apelo, só procure as nossas unidades, UPA, UBS e Pronto Socorro quando estiver com extrema necessidade. Se você for vítima de um acidente doméstico ou de trânsito, se estiver com uma dor insuportável, mas caso contrário, por favor, não vá. Por quê? O risco de ser infectado é maior e as unidades estão saturadas, isso vale também para as outras atividades. Não sai de casa para ir ao supermercado caso não tenha extrema necessidade”,

Deixe uma resposta