Governo Kiko anuncia abertura do comércio sem apresentar dados que garantam a segurança da população

A prefeitura de Ribeirão Pires anunciou oficialmente na manhã deste sábado (4/7) a abertura do comércio de Ribeirão Pires a partir da próxima segunda-feira (6). A autorização acontece em momento em que o coronavírus (COVID-19) tem substancial crescimento na cidade com números preocupantes desde o dia 15 de junho quando após a região do ABC adentrou na fase Laranja, dando início a uma flexibilização da quarentena (isolamento social).

Sem apresentar dados técnicos que assegurem a segurança da população, a anota encaminhada comunica que a partir de 6 de julho (próxima segunda-feira), passa a valer em Ribeirão Pires e Grande ABC as regras da Fase Amarela do Plano São Paulo (Governo do Estado). Seguindo rigorosos protocolos sanitários e de segurança, poderão reabrir: bares, restaurantes e simulares, das 11h às 17h; salões de beleza e barbearias, das 12h às 18h.

Segundo ainda a nota, as atividades reabertas na Fase Laranja do Plano SP poderão abrir ao público em horário ampliado, sendo: escritórios de prestação de serviços, das 9h às 15h; imobiliárias, das 9h às 15h; concessionárias de veículos, das 10h às 16h; comércios de rua, das 10h às 16h; shoppings e galerias, das 12h às 18h.

É ressaltado ainda na nota emitida pela prefeitura de Ribeirão Pires que a quarentena segue vigente no Estado de São Paulo e o isolamento social é recomendado como medida de prevenção ao coronavírus. Saia de casa somente se necessário. Se sair, use máscara (uso obrigatório).

Segundo dados oficiais do governo do Estado de São Paulo e da própria prefeitura de Ribeirão Pires, desde o dia 15 de junho de 2020, data em que teve início na cidade e em todo o ABC Paulista a fase Laranja que deu início a flexibilização da quarentena (isolamento social), os números são desfavoráveis para a saúde pública em termo a vulnerabilidade ao contágio pelo coronavírus.

Conforme o gráfico abaixo, entre os dias 15 de junho e 3 de julho Ribeirão Pires teve um acréscimo de 191 casos somente nesses 20 dias. Em 15 de junho eram 320 casos confirmados para coronavírus chegando em 3 de julho com 511 casos confirmados da doença. Foram 62,62% de aumento de casos confirmados nos últimos 20 dias.

Ainda no mesmo período – 15 de junho à 3 de julho – segundo os dados oficiais da prefeitura de Ribeirão Pires, os óbitos confirmados por coronavírus partiram de 24 para 39. Um acréscimo de 15 novas ocorrência (61,54%). Ver no infográfico acima.

Com informações do Governo do Estado de São Paulo

A taxa de letalidade mostra números preocupantes. Ribeirão Pires tem a segunda maior taxa de letalidade de todo o ABC Paulista ficam apenas atrás da cidade de Mauá.

Em comparação com as taxas de letalidade mundial, do Brasil, do estado de São Paulo e da capital paulista, Ribeirão Pires lidera.

Kiko Teixeira faz live e não esclarece motivos técnicos e afronta orientações da OMS que diz que Brasil segue ‘receita para espalhar mais o coronavírus’

Em live em sua página pessoal no Facebook na noite desta sexta-feira (3/7), demonstrando diversos picos de insegurança e com o objetivo de esclarecer a população sobre a abertura de comércios na cidade, o prefeito de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira (PSDB), sem apresentar bases técnicas que habilitem a ação, utilizou o espaço para fazer grande publicidade de seu governo exaltando a inauguração do Parque Oriental – antigo Camping – que aconteceu virtualmente dentre outros temas que não abrangem especificamente ao proposto.

O diretor do departamento de Doenças Transmissíveis da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), Marcos Espinal, que integra a OMS, disse à BBC News Brasil que junho e julho não são bons momentos para reabrir a economia em tempos de pandemia de coronavírus.

Espinal também falou que adotar a flexibilização da quarentena no epicentro da pandemia de Covid-19 é “uma receita para se espalhar mais doença”.

“Dissemos aos países, não só ao Brasil, que junho e julho não são uma boa hora para se reabrir. Não é uma boa ideia reabrir a economia quando se está no epicentro de uma pandemia. Mas todos os países são soberanos e cada um decide o que fazer. É uma receita para se espalhar mais doença. Nós vimos isso nos Estados Unidos. Estados que reabriram no começo estão chegando ao pico. Então, esperamos cada vez mais casos”.

Na quinta-feira (2), ruas do Leblon, bairro nobre do Rio de Janeiro, ficaram lotadas após autorização para o funcionamento de bares.

A OMS pode estar coberta de razão, principalmente que focarmos o atual quadro de Ribeirão Pires onde os seus números atuais referente ao coronavírus deixam transparecer de que não há o clima mais adequado para a liberação ainda que moderado do comércio local. Tudo pode ser uma grande risco para a população que pode ser vitimada pela doença que ainda não tem antidoto, vacina ou medicação capaz de frear a sua escalada.

Apesar do alerta que vem sendo feito, o diretor do departamento de Doenças Transmissíveis da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), Marcos Espinal, proferiu sábias palavras: “cada país decide o que fazer”.

Deixe uma resposta